A falta de divulgação dos nomes só aumentou a expectativa quanto à identificação dos envolvidos no golpe de fraude de crédito para microproprietários rurais, envolvendo funcionários do Banco do Brasil.

Os resultados da Operação Gremlins II, realizada pela Polícia Federal em 24 cidades do Ceará, com a prisão até o momento de 15 pessoas –  entre os quais ex-gerentes do Banco do Brasil, das agências de Parquelândia (Fortaleza) e Cascavel  -, apreensão de bens de luxo, incluindo carros importados de luxo, foram apresentados ontem (25/10) pelo superintendente da PF no Estado, Delano Cerqueira Brunn, e o titular da Delegacia de Combate à Corrupção, Janderlyer Gomes de Lima.

A fraude consistia na concessão de empréstimos para “microprodutores rurais”, em linhas especiais de crédito gerenciadas por bancos de fomento. A PF calcula que o esquema tenha movimentado cerca de 20 milhões de reais em 5 anos, dos quais 6,5 milhões já foram apurados. Os créditos eram concedidos através dos programas Pronaf e Pronamp e destinados à compra de gado, apicultura e equipamentos de pesca, mas não eram aplicados nessas finalidades.

A PF descobriu que eram cooptadas pessoas muito pobres, que cediam seus documentos para preencher a papelada e recebiam uma quantia entre 3 mil e 5 mil reais, sem tomar conhecimento do total da dívida assumida perante os agentes financeiros. A fraude tinha a participação de funcionários do banco e também de empresários que emitiam notas fiscais “frias” da venda de equipamentos, etc.

Entre os 15 já detidos nesta primeira fase da Gremlins II estão os gerentes dos bancos, comerciantes de produtos agropecuários, engenheiros e técnicos criadores dos “projetos” de produção agrícola, aliciadores de pessoas em condição de obter os empréstimos e até um ex-vereador de Aquiraz. A operação conseguiu apreender documentos, acessar contas bancárias e bloquear bens como imóveis e autos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *