Uma viagem de tomadas fotográficas e um trabalho de um ano de pesquisa documental, para um resultado iconográfico da história da cidade de Cascavel. Lançado na noite de sexta-feira, 15 de dezembro, no Colégio Cascavelense, o livro “Cascavel Antes e Agora: Retratos das Memórias Perdidas no Tempo”, de Kyko Barros, Francisco de Sena Rodrigues e Evânio Reis Bessa, retrata as mudanças ocorridas na arquitetura e na paisagem urbana através de ângulos comparativos. Os autores são naturais da cidade e pretendem, com o livro de 68 páginas, conectar os leitores com a possibilidade de entender melhor para onde estamos indo como uma sociedade na qual os cenários do passado acabam relegados a meras lembranças na memória das pessoas mais velhas.

Ao todo são 71 imagens, divididas em três temas: Memórias Religiosas, Histórias Guardadas nas Praças e Metáforas Urbanas. Com vistas a dar testemunho da história e resgatar sinais e indicações do passado, que escapam ao olhar cotidiano, os autores procuraram maior proximidade possível com os ângulos que retratam essa trajetória iconográfica.

“Os três autores souberam utilizar, como poucos, a fotografia de ontem e de hoje, como meio hábil para captar o efêmero que caracteriza a modernidade, logrando com isso resgatar, não apenas imagens do passado ‘destruído pelo avanço vertiginoso do moderno’, como trazer a possibilidade de deter o tempo e reter a ideia de recuperar os sinais perdidos que assumem a função de matéria para uma reflexão contemporânea, ressalta o historiador, genealogista e memorialista José Nelson Bessa Maia”, prefaciador da obra.

José Nelson Bessa Maia ressaltou o conteúdo fotográfico da obra

Kyko Barros destaca a importância de levar às novas gerações os registros desse processo de construção e reconstrução da cidade, como descreve na apresentação do livro. “Leonardo Benevolo, arquiteto italiano, especialista em desenvolvimento das metrópoles, assevera que os jovens não conhecem a cidade onde os adultos viviam quando também eram novos. Isso porque a velocidade das ocorrências é tão grande a ponto de apagar o ambiente de uma geração anterior”.

O trabalho teve como base o acervo de fotografias antigas de Francisco de Sena Rodrigues, que não pôde comparecer à solenidade de lançamento do livro. Na ocasião ele foi representado Terezinha Munhoz, que falou sobre sua obra – “Cascavel, Retalhos de Sua História” – e sua contribuição para a cultura do município.

Os recortes da tessitura histórica do Cascavel foram coordenados pelo professor Evânio Reis Bessa, memorialista e historiador por paixão. E foi com esse sentimento que ele brindou os presentes na noite de autógrafos, conduzindo-os a uma soberba viagem pelos primórdios da história do município.

Evânio Reis Bessa conduziu os recortes históricos

O evento contou com a presença de escritores, personalidades de Cascavel, amigos, familiares e entusiastas dessa história da cidade.

[Fotos: Guilherme Jonh]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *