O Tribunal Regional Federal da primeira região (TRF-1), em Brasília, concedeu liminar (decisão provisória) para adiar os interrogatórios do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do filho, Luiz Cláudio, marcados para o dia 30 de outubro na Operação Zelotes.

Os advogados do ex-presidente alegaram que os réus seriam ouvidos antes das testemunhas, o que, para a defesa, fere o andamento legal do processo.

Na decisão que adiou o interrogatório, o desembargador Néviton Guedes , disse que a decisão de marcar o depoimento dos acusados antes das testemunhas “confronta” o Código de Processo de Penal, “sacrificando sem respaldo legal ou constitucional a regra de que o interrogatório do réu, como ato preponderantemente de defesa que é, deva ser o ato derradeiro da instrução penal”.

Lula e seu filho Luiz Cláudio foram denunciados pelo Ministério Público em dezembro do ano passado. O ex-presidente foi acusado pelos crimes de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

[G1]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *